Maior lago de água salgada da China pode secar

O lago Qinghai, situado no planaltotibetano e considerado o maior de água salgada da China, pode secarem dez anos, devido à excessiva exploração turística, advertiramespecialistas citados pela imprensa local. O lago, de 4.285 quilômetros quadrados, é o hábitat natural devários animais e plantas em risco de extinção e, "uma vez destruído,será impossível recuperá-lo, por mais que sejam tomadas medidas deproteção", afirmou o acadêmico chinês Shen Ji, do Instituto deGeografia de Nanquim.Nos últimos 40 anos, segundo Shen, o nível do lago desceu quasequatro metros, e sua área diminuiu em 670 quilômetros quadrados.Analistas de todo o mundo participam, nesta semana, de umaconferência internacional sobre regiões lacustres na cidade deNanchang, no sudeste da China, onde veio à tona o risco a que estesecossistemas estão expostos. O lago Qinghai, situado na província chinesa de mesmo nome,registra reduções do nível de água e crescentes índices de poluiçãodesde a década de 60, segundo o jornal South China Morning Post.Os especialistas da conferência de Nanchang afirmaram que arecente inauguração do primeiro trem para o Tibet, que passa perto dolago, poderia aumentar o número de turistas na região, e issoprejudicaria ainda mais o ecossistema. É esperado um aumento de até30% no número de visitantes. O lago é a paisagem natural mais conhecida e visitada pelos oitomilhões de turistas que a cada ano vão a Qinghai, uma remotaprovíncia pouco habitada, que sediou campos de trabalho forçado compresos políticos chineses, durante a Revolução Cultural (1966-76). A ida de turistas ao "mar verde", o significado da palavraQinghai, aumenta a quantidade de resíduos nas margens, onde aproliferação de hotéis e restaurantes também constitui uma ameaçapara o delicado meio ambiente da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.