Maioria dos americanos admite usar celular ao volante

Para 91% deles, enviar mensagens de texto é tão perigoso quanto dirigir alcoolizado

REUTERS

08 Agosto 2007 | 10h12

Noventa e um por cento dos norte-americanos acreditam que enviar mensagens de texto ao volante é tão perigoso quanto dirigir após a ingestão de bebidas alcoólicas, mas 57% admitem fazer isso, mostrou uma pesquisa divulgada na terça-feira, 7.   O estudo da Harris Interactive, solicitado pelo serviço de mensagens de texto em celulares Pinger, mostrou ainda que 89% dos que responderam ao questionário acham que o envio de mensagens ao volante deveria ser proibido.   Ainda assim, mais da metade dos pesquisados disse que já usou serviços de mensagens ou então leu textos ou e-mails enquanto dirigia.   Em maio, o Estado de Washington aprovou a primeira lei dos Estados Unidos banindo o uso de mensagens de texto ao volante e pelo menos outros seis Estados - incluindo Nova York, Califórnia e Flórida - estão considerando adotar legislação similar, disse a Pinger em um comunicado com o resultado da pesquisa.   O levantamento mostrou que tanto homens quanto mulheres enviam mensagens de texto enquanto dirigem, mas os jovens o fazem com mais freqüência. Entre os que admitiram usar mensagens de texto, 64% tinham entre 18 e 34 anos, enquanto apenas 6 por cento tinham 55 anos ou mais.   Foram ouvidos 2.049 adultos nos EUA de 29 de junho a 3 de julho. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Mais conteúdo sobre:
Celular Trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.