Mais 18 PMs são presos por mortes na Baixada Santista

A Corregedoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo prendeu, ao longo do fim de semana, mais 18 policiais que estariam envolvidos em uma séria de assassinatos ocorridos na Baixada Santista em abril. Com isso, o número de PMs presos sob suspeita de integrar a um grupo de extermínio conhecido como "Ninjas da PM" chega a 23 homens.

AE, Agência Estado

07 de junho de 2010 | 09h13

As prisões começaram na quarta-feira e devem continuar ao longo da semana, conforme as investigações descobrirem novos suspeitos. Todos foram levados do quartel no litoral para a corregedoria na capital e estão em regime de prisão administrativa de cinco dias. Caso haja evidências da participação dos policiais nas 23 mortes que ocorreram entre 18 e 23 de abril, a corregedoria pode pedir a prisão preventiva dos acusados.

Na tarde de ontem, pelo menos 15 pessoas estavam na Corregedoria para visitar os PMs. A maioria reclamava da falta de informação e da demora para ver os parentes.

A mulher de um dos PMs presos afirmou que seu marido foi vítima de dois ladrões que fugiam depois de tentar roubar um caixa eletrônico em 23 de março. "Dois dos ladrões queriam roubar o carro do meu marido. Iniciou-se um tiroteio e um deles foi morto. A partir daí, começamos a ser ameaçados", disse. A Corregedoria preferiu não responder à reportagem "visando evitar problemas no curso das investigações". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
crimeviolênciaBaixada Santista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.