Mais da metade das clínicas ginecológicas param em SP

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp) informou que aproximadamente 70% de todas as clínicas paulistas aderiram à greve de hoje, em que o atendimento eletivo a planos de saúde foi interrompido.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

30 de novembro de 2010 | 19h47

Segundo a Sogesp, a mesma porcentagem aderiu à paralisação na cidade de São Paulo. O número de profissionais da área ligados à entidade é de 10,5 mil. A iniciativa, de acordo com a Sogesp, é uma forma de protesto a gestores de saúde suplementar e operadoras de planos sobre os baixos honorários recebidos pela categoria. Os casos de urgência e emergência não vão sofrer com a paralisação, informa a entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
greveObstetríciaGinecologiaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.