Mais de 70% dos brasileiros desaprovam o SUS, diz Ipea

Pesquisa com 2,7 mil pessoas mostra que falta de médicos e demora para marcar consulta [br]são as principais queixas

Fernanda Bassette, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2011 | 00h00

Mais de 70% dos brasileiros consideram o Sistema Único de Saúde (SUS) ruim, muito ruim ou regular. A principal reclamação é de falta de médicos, seguida da demora para agendar consulta ou exame na rede pública. Mesmo assim, o Programa Saúde da Família é bem avaliado por 80% dos entrevistados.

Os dados são do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), que avaliou a percepção da população sobre os serviços. Foram ouvidas 2.773 pessoas de todas as regiões do País.

As opiniões divergem um pouco quando se compara pessoas que usaram o SUS nos últimos 12 meses com quem não usa o sistema. Assim, entre os usuários, 69,6% classificam o serviço como ruim, muito ruim ou regular, contra 80,8% daqueles que não dependem do SUS.

Sem médicos. A maioria dos entrevistados (58,1%) aponta a falta de médicos como o principal problema. O tempo de espera entre a marcação e a realização de uma consulta é a queixa de 33,8% deles. A demora para ser atendido em postos de saúde ou nos hospitais é a reclamação de 35,4%. A demora é o principal motivo que levou parte deles a fazer plano de saúde.

Maria Aparecida Miranda de Paula Machado, doutora em saúde pública e professora da USP de Bauru, reconhece que faltam médicos especialistas e sugere a criação de redes que "conversem entre si" como alternativas para contornar o problema da demora nos exames e consultas.

Helvécio Magalhães, secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, diz estar satisfeito com o resultado. "A pesquisa mostra uma melhor avaliação por parte daqueles que usam o SUS. Isso mostra que ele não é tão ruim como dizem", diz, acrescentando que o ministério pretende criar redes de saúde em polos regionais para suprir a demanda de exames e consultas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.