Mais dois apadrinhados de Matarazzo são trocados por Kassab

Indicados nas Subprefeituras de Pinheiros e da Vila Prudente são substituídos; secretário corre risco de sair

Diego Zanchetta, de O Estado de S. Paulo,

09 Janeiro 2009 | 09h25

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) definiu três novos subprefeitos para as regiões de Pinheiros, Vila Prudente e Pirituba. As mudanças consolidam a perda de poder do secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo. Das três trocas, duas envolvem indicados por Matarazzo, que não havia sido avisado até a quinta-feira, 8, sobre as substituições.   Veja também: Kassab explica bloqueio no orçamento Para cobrar: as promessas de campanha de Kassab    A principal mudança ocorrerá em Pinheiros, onde a subprefeitura é responsável pela fiscalização da ocupação do solo de áreas nobres da zona oeste, como Jardins e Vila Madalena. Nilton Nachle, apadrinhado de Matarazzo, deixa o cargo para o coronel da PM Nevoral Alves Bucheroni, que já exerce a chefia de gabinete em Pinheiros. Bucheroni é homem de confiança do prefeito.   No lugar de Reinaldo Saccoman, da Vila Prudente, outro indicado por Matarazzo, entra o secretário executivo da Sabesp, Wilson Pedroso, ligado ao vereador e líder de governo na Câmara, José Police Neto (PSDB). Em Pirituba, o novo subprefeito é o tucano Ary Fossen, ex-prefeito de Jundiaí. A indicação foi um pedido do governador José Serra (PSDB) ao prefeito.   Em menos de um mês, Matarazzo perdeu três de seus apadrinhados em subprefeituras. Em dezembro, já havia saído o titular da Mooca, Eduardo Odloak. O subprefeito foi substituído pelo também coronel da PM Rubens Casado. Outros dois indicados pelo titular da Coordenação das Subprefeituras também devem ser trocados até março: Alexandre Aniz (Ipiranga) e Alexandre Modonezi (Vila Mariana).   Espécie de primeiro-ministro da gestão Kassab, Matarazzo começou a perder prestígio no governo a partir das eleições. Além do desgaste pelo atraso no projeto Nova Luz, Matarazzo, vice-presidente do Diretório Municipal do PSDB, não participou da campanha à reeleição como outros secretários tucanos. Procurada por volta das 20h, a assessoria de Matarazzo informou não ter localizado o secretário para comentar as mudanças. Ele só continua no cargo devido a pedido de Serra ao prefeito.   Lixo   A gestão Kassab vai reavaliar os contratos de R$ 13 bilhões da Secretaria Municipal de Serviços e "adequá-los ao novo orçamento da cidade". Por meio de portaria publicada ontem no Diário Oficial da Cidade, o governo nomeou um grupo para estudar os contratos da pasta, o que inclui a coleta de lixo, a varrição e a iluminação pública. Kassab não descarta uma redução nos R$ 10 bilhões do contrato do lixo, o maior da história de São Paulo.   O prefeito confirmou ao Estado a possibilidade de reduzir os valores dos contratos do lixo, cuja concessão de 20 anos, ratificada na gestão anterior, é contestada na Justiça desde 2005. A redução faz parte do contingenciamento de R$ 1,5 bilhão que o governo deve fazer no orçamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.