Mais dois corpos são resgatados de naufrágio no MS

A agência Fluvial de Porto Murtinho informou nesta sexta-feira, 26, ter encontrado mais dois corpos de vítimas do naufrágio da Chalana (espécie de barco-hotel) paraguaia Sueño do Pantanal em Porto Murtinho (MS). O primeiro resgate de hoje ocorreu no interior da embarcação, o segundo estava às margens do rio, a 5 km do Porto. Ao todo, já são cinco corpos resgatados, sendo três localizados nessa quinta-feira, 25. Nove pessoas continuam desaparecidas.

FÁTIMA LESSA, ESPECIAL PARA AE, Estadão Conteúdo

26 Setembro 2014 | 13h29

Segundo o comandante da agência, capitão Alexandre Brandão, as buscas prosseguirão até que seja resgatado o último corpo. A Marinha brasileira e seis homens da Marinha Paraguaia participam da operação.

Segundo o capitão, as buscas estão concentradas no interior da embarcação de nacionalidade paraguaia e ao longo das margens do Rio. O local onde o barco foi localizado é muito escuro, a 17 metros de profundidade, em frente à comunidade Peralta, lado Paraguaio.

Histórico

O acidente que deixou mortos e desaparecidos aconteceu na última quarta-feira, 24, e foi provocado por uma tempestade com ventos de até 90 km por hora. Na embarcação, estavam 27 pessoas, 16 eram turistas e 11 tripulantes paraguaios. De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na Polícia Civil, o naufrágio ocorreu por volta das 17h30 (horário de Brasília) no trecho do Rio Paraguai onde a profundidade chega a 20 metros. Treze pessoas sobreviveram, sendo cinco turistas-pescadores brasileiros e oito tripulantes paraguaios.

Como estão sem documentação, Brandão, informou que o reconhecimento está sendo feito pelos sobreviventes que acompanham os trabalhos.

Os corpos resgatados são entregues para Polícia Civil e levados para o Hospital Municipal de Porto Murtinho (o município não dispõe de IML). Após os procedimentos legais, os corpos deverão ser entregues aos familiares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.