Mais negociações salariais repõem inflação no 1o semestre

Mais reajustes salariais conseguiram igualar ou superar a inflação no Brasil no primeiro semestre deste ano do que no mesmo período de 2008, segundo balanço do Dieese que mostrou um efeito reduzido da crise global sobre as negociações.

REUTERS

13 Agosto 2009 | 12h28

O percentual de negociações com reajustes iguais ou acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou próximo de 93 por cento entre janeiro e junho de 2009, frente a 87 por cento um ano antes, informou o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Dos três setores de atividade analisados, a indústria foi o destaque negativo, com uma queda significativa no percentual de aumentos reais. Os reajustes inferiores ao INPC no segmento aumentaram para 9 por cento neste ano, ante 6 por cento em 2008, enquanto a fatia igual ou acima da inflação caiu para 90,9 por cento em 2009, frente a 93,9 por cento em 2008.

Ainda assim, a porcentagem de aumentos reais na indústria foi a maior entre os setores pesquisados.

O setor de serviços apresentou a maior mudança no quadro de reajustes com 72 por cento das negociações conseguindo reajustes reais, ante 60 por cento no primeiro semestre de 2008.

"Contudo, tanto em 2008 quanto em 2009, a proporção de reajustes com incorporação de aumento real nos serviços é inferior à verificada no quadro geral e nos dos demais setores considerados", informou o Dieese.

No comércio, houve apenas um registro de reposição salarial abaixo da inflação dos 31 contabilizados por sindicatos.

(Por Jenifer Corrêa)

Mais conteúdo sobre:
MACRODIEESE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.