Mais potência

À primeira vista, o novo trio de MacBooks Pro não difere muito de seus antecessores de 2011. O mesmo exterior metalizado e brilhante, a mesma borda preta da tela. As novidades estão mesmo nas partes internas. O chip é o Ivy Bridge, lançamento deste ano da Intel que promete velocidade geral até 7% maior que seu modelo anterior e aumento de 105% no chamado processamento "gráfico"ou visual.

O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2012 | 03h08

Esse item ganha uma importância ainda maior na versão do MacBook Pro 15 polegadas com tela Retina (tecnologia presente no iPad mais recente). Aqui a visão é beneficiada com uma resolução de 220 pixels por polegada, mais de 100 ppi a mais que o Pro 15 de tela convencional.

O MacBook Air ressurge num cenário cheio de novos concorrentes na categoria notebook diet, os chamados ultrabooks (nos EUA já há mais de 100 modelos à venda).

Pouca coisa mudou, dentro e fora, em relação aos modelos 2011 do Air. As duas entradas USB agora são 3.0 e o processador ganhou eficiência.

Mesmo assim, o Air ainda é um dos mais leves e finos da categoria ao mesmo tempo em que permanece um dos mais robustos laptops.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.