Mais um dique se rompe no Rio; cerca de mil são removidos

Mais um dique se rompeu no norte do Estado do Rio de Janeiro, obrigando as autoridades a iniciar a remoção às pressas de cerca de mil pessoas na noite de domingo no município de Cardoso Moreira, no norte fluminense, segundo a Defesa Civil.

REUTERS

09 de janeiro de 2012 | 09h11

O dique do Onça se rompeu no fim da tarde de domingo por causa da força das águas do Rio Muriaé, que corta a região. Com as chuvas de verão na área este ano, o nível do rio subiu bastante e a água invadiu uma área rural da cidade conhecida como Outeiro, onde vivem cerca de mil pessoas.

Equipes do Exército e da Defesa Civil estão desde domingo à noite retirando as famílias do local e levando para barracas e abrigos improvisados. "Estão todos colaborando na remoção dessas pessoas. Ainda hoje a região deve ficar totalmente alagada", disse à Reuters nesta segunda-feira o coordenador da Defesa Civil de Campos, Henrique Oliveira.

Neste fim de semana voltou a chover no Estado do Rio aumentando o clima de desespero e apreensão nas regiões norte e no noroeste. Houve desabamentos e deslizamentos.

Na quarta-feira passada, um dique na rodovia BR 356 também se rompeu com a força da chuva, abrindo uma cratera de mais de 20 metros na via e inundando a localidade vizinha de Três Vendas, na cidade de Campos, também no norte fluminense.

Cerca de 4 mil pessoas ficaram em situação de risco e foram orientadas a sair de suas casas inundadas pela água do rio. No entanto, com medo de saques e furtos, muitos decidiram ficar em casa. A localidade de Três Vendas fica perto da região de Outeiro, de Cardoso Moreira.

Segundo a Defesa Civil, o Estado tem mais de 10 mil desalojados (pessoas fora de casa) e cerca de 2 mil desabrigados. Até agora uma pessoa morreu em decorrência da chuva.

Ao menos sete cidades do Rio de Janeiro, entre elas Cardoso Moreira e Campos, decretaram estado de emergência em razão da chuva deste começo de ano.

O governo federal deve anunciar nesta segunda-feira um plano para minimizar os efeitos das enchentes e da estiagem que afetam regiões do Brasil.

Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff se reunirá nesta segunda-feira às 10h em Brasília com o grupo de ministros responsáveis por ações de enfrentamento às chuvas. O objetivo é fazer um balanço das medidas adotadas na última semana e planejar as próximas ações, de acordo com o Planalto.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; edição de Maria Teresa de Souza)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALRIODIQUEROMPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.