Mais uma grávida no Estado de SP diz ter usado Contracep

Edivânia, de 31 anos, pode ser a segunda vítima conhecida da possível ineficácia do medicamento

TATIANA FÁVARO, Agencia Estado

30 de novembro de 2007 | 16h26

A dona de casa Edivânia Tavares dos Santos, de 31 anos, moradora de Itapira, a 176 quilômetros de São Paulo, promete entrar na Justiça com pedido de indenização ao laboratório Sigma Pharma. Ela diz que tomou duas doses injetáveis do anticoncepcional Contracep, produzido pelo laboratório, e agora está grávida, de acordo com resultado de exame consultado no dia 21 de novembro. Edivânia pode ser a segunda vítima conhecida da possível ineficácia do medicamento. A primeira foi uma jovem de Ribeirão Preto.   No início do mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recolheu três lotes do produto, por suspeita de ineficácia na prevenção da gravidez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.