Mali deve liberar 108 pessoas que estão em quarentena por Ebola

O Mali se prepara para liberar 108 pessoas que estão em quarentena devido ao Ebola, um anúncio esperado para mostrar que o país conseguiu conter a disseminação da doença.

TOM MILES, REUTERS

10 Novembro 2014 | 15h08

O país se tornou o sexto da África Ocidental a registrar um caso de Ebola, quando uma menina de 2 anos morreu no mês passado. A morte levou a uma busca urgente por qualquer pessoa que poderia ter sido infectada por ela durante a viagem de 1.200 quilômetros em ônibus da Guiné à cidade de Kayes (Mali).

O Ministério da Saúde do Mali deve confirmar ainda nesta segunda-feira que 29 pessoas que podem ter mantido contato com a menina durante uma parada de duas horas em Bamako, junto com outras 12 pessoas em Kayes, deverão ser liberadas da quarentena de 21 dias na terça-feira.

Outros 67 possíveis contatos, incluindo três parentes que viajaram com a menina e 33 profissionais de saúde, devem ficar livres da quarentena no sábado.

"Se tudo correr bem, até sábado todos os 108 que nós estamos acompanhando estarão seguros e completarão os 21 dias", disse o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) Ibrahima Soce Fall.

A epidemia, que matou quase 5.000 pessoas, está se agravando em Serra Leoa, se mantém estável na Guiné, mas tem se reduzido na Libéria, os três países africanos mais atingidos pelo Ebola.

Mais conteúdo sobre:
EBOLAMALISUSPENSAOQUARENTENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.