Manchetes Summary

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central deve promover neste mês um corte do juro mais acentuado, diante de um cenário de inflação dentro da meta e crescimento moderado da economia em 2009, mostra pesquisa divulgada nesta segunda-feira. Na última reunião de 2008, os diretores do BC chegaram a discutir a possibilidade de cortar a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, mas acabaram optando em manter o juro em 13,75 por cento. França busca trégua em Gaza; Israel mantém ofensiva GAZA (Reuters) - Os combates entre as tropas israelenses e os militantes do Hamas prosseguem nesta segunda-feira na Faixa de Gaza, em meio aos esforços da França para mediar um cessar-fogo. O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, disse que a ofensiva vai continuar até que todas as localidades de Israel estejam a salvo dos foguetes disparados por militantes islâmicos na Faixa de Gaza. Vendas de veículos no Japão têm pior dezembro da história TÓQUIO (Reuters) - As vendas de veículos no Japão, excluindo miniveículos de 660 cilindradas, despencaram 22 por cento em dezembro em relação ao mesmo mês de 2007, batendo no pior patamar já registrado para o período. O resultado fecha um 2008 fraco em que a demanda caiu ao nível mais baixo em 34 anos. As vendas de carros, caminhões e ônibus novos somaram 183.549 veículos, segundo a Associação de Concessionárias de Autoveículos do Japão (Jada). Todas as marcas sofreram quedas nas vendas. Israel ainda não atingiu seu objetivo em Gaza, diz ministro JERUSAL?s crianças e sua mãe, atingidas dentro de casa pelo disparo de um tanque israelense, na Cidade de Gaza, segundo equipes médicas palestinas. Sete membros de outra família foram mortos em uma explosão num campo de refugiados à beira-mar. O Exército israelense diz que "muitas dúzias" de combatentes islâmicos já foram mortos desde o início da ofensiva terrestre, no sábado. "O Hamas por enquanto vem sofrendo um duro golpe da nossa parte, mas ainda temos de alcançar nosso objetivo, e por isso a operação continua", disse Barak à imprensa. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, deve chegar na segunda-feira à região, tentando promover uma trégua à qual Israel vem resistindo. Uma fonte do Hamas disse que uma delegação do grupo, que governa a Faixa de Gaza, participará de negociações no Egito, que também abriu contatos na tentativa de obter uma trégua. Mas Mahmoud Zahar, dirigente do Hamas, conclamou as forças do grupo a manterem a luta "em nome de Deus". "Eles legalizaram que derrubemos suas sinagogas quando atingiram nossas mesquitas, legalizaram que derrubemos suas escolas quando atingiram nossas escolas", disse Zahar em discurso. Ele acrescentou que Hamas "deve sentar as fundações para um amanhã sem sionistas". EXPLOSÕES Explosões sacudiram Gaza durante a noite, depois que soldados israelenses avançaram para uma região ao norte. As forças de ocupação orientaram a população a deixar suas casas. Dezenas de famílias buscaram refúgio em escolas mantidas pela ONU. Uma porta-voz militar disse que os aviões bombardearam mais de 30 alvos, inclusive casas de membros do Hamas usadas para esconder armas, túneis e um suposto lançador de foguetes antiaéreos. A imprensa israelense disse que os soldados buscam militantes em um combate casa a casa, e que em um dos confrontos os palestinos tentaram capturar um soldado. Os militares disseram, sem entrar em detalhes, que seis soldados ficaram feridos durante a noite. Israel iniciou os ataques com bombardeios aéreos em 27 de dezembro, alegando querer pôr fim aos ataques com foguetes vindos de Gaza, antes de uma eleição nacional em Israel, marcada para o mês que vem. Pelo menos 530 palestinos já foram mortos, sendo ao menos um quarto deles civis, segundo uma agência da Organização das Nações Unidas. Quarenta e duas pessoas, a maioria civis, foram mortas somente no domingo, segundo uma fonte médica. Quatro israelenses foram mortos em ataques com foguetes e morteiros lançados contra Israel desde o início da ofensiva. Um soldado israelense morreu em combate no domingo, e 48 ficaram feridos após Israel expandir suas operações por terra. Os avanços israelenses em Gaza dividiram a região costeira em duas áreas, e as forças do país também cercaram a principal concentração urbana da região, a Cidade de Gaza. (Reportagem adicional de Dan Williams em Jerusalém)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.