Manchetes Summary

O Parlamento da Grécia aprovou nesta quarta-feira as medidas de austeridade amplamente impopulares, apesar de protestos violentos, numa votação vital para assegurar que o país continue recebendo ajuda financeira internacional e evite uma moratória. Os parlamentares aprovaram o pacote de corte de gastos, aumento de impostos e venda de ativos estatais por 155 votos a 138, numa vitória significativa para o primeiro-ministro George Papandreou.

PARLAMENTO GREGO A, REUTERS

29 Junho 2011 | 14h42

Ação do Pão de Açúcar perde vigor após forte alta

SÃO PAULO (Reuters) - A ação do Pão de Açúcar perdia o vigor exibido mais cedo nesta quarta-feira e operava em baixa, após avançar até 12 por cento pela manhã em meio à cobertura de posições após o anúncio na véspera do plano de fusão com o Carrefour no Brasil. A proposta do empresário Abílio Diniz --com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)-- para unir o Pão de Açúcar à unidade brasileira do Carrefour irritou o Casino, concorrente do Carrefour na França e hoje principal sócio de Diniz.

Ministro espera que Senado vote regime para Copa em 2 semanas

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro do Esporte, Orlando Silva, espera que o Senado vote em duas semanas o Regime Diferenciado de Contratações (RDC) para as obras da Copa do Mundo e da Olimpíada, e acredita que as mudanças aprovadas pela Câmara dos Deputados facilitarão a tramitação na Casa. "A nossa expectativa é que o Senado nos próximos dez dias, duas semanas no máximo, possa examinar essa matéria", disse ele durante o programa "Bom Dia, Ministro", da Radiobrás, em que agradeceu à Câmara pela aprovação do RDC na madrugada desta quarta-feira.

BC eleva a 5,8% estimativa de inflação deste ano

SÃO PAULO, 29 de junho (Reuters) - O Banco Central elevou suas projeções para a inflação neste e no próximo ano e manteve a estimativa para o crescimento econômico em 2011, segundo o Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quarta-feira. O documento apontou ainda que o cenário principal com que o BC trabalha contempla moderação no ritmo de recuperação da economia global e na dinâmica dos preços de commodities, mas o principal risco ainda advém do comportamento desses produtos.

Tanque sírio mata quatro pessoas perto da fronteira turca

AMÃ (Reuters) - Tropas sírias mataram quatro moradores de um povoado na quarta-feira, disse um ativista, durante nova investida das forças do governo lideradas por tanques numa ação que já levou milhares de sírios a se refugiarem do outro lado da fronteira noroeste com a Turquia. "Os quatro morreram em disparos aleatórios feitos contra o vilarejo de Rama por metralhadoras de tanques, algo que vem se tornando comum nestes ataques não justificados. Os tanques começaram a disparar sobre os bosques nos arredores e depois fizeram disparos contra o vilarejo", disse à Reuters Ammar Qarabi, presidente da Organização Nacional Síria de Direitos Humanos, falando do Cairo, onde está exilado.

Polícia vasculha hotel em Cabul onde Taliban matou nove pessoas

CABUL (Reuters) - A polícia afegã fez na quarta-feira uma busca minuciosa em um dos hotéis mais famosos de Cabul, à procura de possíveis outras vítimas, depois de um ataque de militantes suicidas do Taliban durante a noite que matou oito civis e policiais afegãos e um estrangeiro. Armados com granadas e outras armas, os nove atacantes invadiram o fortemente vigiado hotel Intercontinental, frequentado por ocidentais e VIPs, antes de um helicóptero da Otan ter matado os insurgentes remanescentes em uma batalha final sobre o telhado do hotel, pondo fim a um ataque que durou mais de cinco horas.

Custo de guerras dos EUA deve superar US$ 3,7 tri, diz estudo

NOVA YORK (Reuters) - Quando o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, citou o custo como uma razão para retirar as tropas norte-americanas do Afeganistão, ele se referiu a uma quantia de 1 trilhão de dólares gastos pelos Estados Unidos em seus atuais conflitos bélicos. Mas, por maior que pareça, essa cifra subestima grosseiramente o custo total para o Tesouro dos EUA das guerras no Iraque, Afeganistão e Paquistão, e ignora valores mais vultosos que ainda devem surgir, segundo um estudo divulgado na quarta-feira.

Vendas de supermercados voltarão a acelerar em julho

SÃO PAULO, 29 de junho (Reuters) - Após o salto anual de 13,6 por cento visto em abril, as vendas reais dos supermercados brasileiros desaceleraram o ritmo de alta no mês passado, tendência que deve se repetir em junho. As vendas do setor cresceram 0,69 por cento em maio na comparação com o mesmo mês no ano passado, informou nesta quarta-feira a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

França confirma que forneceu armas e alimentos a rebeldes líbios

PARIS (Reuters) - A França forneceu armas, munições e alimentos aos rebeldes líbios nas Montanhas Ocidentais no início de junho para impedir que as tropas leais a Muammar Gaddafi tomassem o controle da região, disse um porta-voz das Forças Armadas francesas nesta quarta-feira. Citando fontes não-identificadas, o jornal francês Le Figaro informou mais cedo que a França lançou de paraquedas na região de Jebel Nafusa "grandes quantidades" de armas, inclusive lançadores de foguetes, fuzis, metralhadoras e mísseis antitanque.

Produção industrial do Japão tem maior alta em quase 60 anos

TÓQUIO (Reuters) - A produção da indústria japonesa registrou em maio o maior crescimento em quase 60 anos, conforme os manufatureiros restauraram as cadeias de oferta que haviam sido obstruídas com o terremoto e o tsunami de março. A alta foi de 5,7 por cento, acima da previsão do mercado de 5,5 por cento e do avanço de 1,6 por cento de abril, informou o Ministério da EcSe a operação for confirmada, a empresa resultante teria 27 por cento do varejo brasileiro. O ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse que a união proposta abriria uma "porta importantíssima" para os produtos brasileiros no exterior.

Na terça-feira, a corretora Raymond James também havia comentado que as ações do Pão de Açúcar operavam com um desconto de cerca de 13 por cento em relação ao restante do setor no Brasil, o que dava margem para uma alta expressiva.

BUSCA POR INFLUÊNCIA?

Profissionais de mercado também levantaram a possibilidade de que acionistas como o Casino estejam comprando ações do Pão de Açúcar no mercado para reforçar a posição na companhia brasileira. Duas corretoras estrangeiras eram os principais destaques na compra, sustentando a alta no momento mais agudo do dia.

Na terça-feira, contudo, a diretoria e os principais acionistas do Pão de Açúcar foram orientados a não negociarem ações da empresa, seguindo diretrizes da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em casos de anúncios de fusões e aquisições.

O Casino, que acionou arbitragem internacional contra o sócio Diniz no mês passado, chamou a proposta de fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour no Brasil de "ilegal".

A proposta de união prevê a conversão das ações preferenciais do Pão de Açúcar em ordinárias, com direito a voto.

ANALISTAS MOSTRAM CAUTELA

Diante da valorização expressiva das ações da varejista vista na terça-feira e na manhã desta quarta, analistas temem que a empolgação inicial tenha ido longe demais.

O Deutsche Bank, por exemplo, rebaixou a recomendação dos papéis do Pão de Açúcar para "manter", esperando por mais clareza no processo.

"Na nossa opinião, não é tão óbvio que o acordo venha a ser aprovado pelo Casino, um dos controladores do Pão de Açúcar", escreveram analistas do Deutsche em relatório.

O Citigroup também mostrou ceticismo, afirmando que, mesmo que o Casino aprove o acordo, há riscos em potencial para os acionistas locais, como a diluição de minoritários e a exposição ao mercado europeu via uma participação no Carrefour.

O Itaú BBA é outro que olha para o acordo com um pé atrás. Em relatório, a instituição até cita até a possibilidade de que o Casino se alie ao Wal-Mart para fazer frente à aliança entre Carrefour e Pão de Açúcar.

(Reportagem adicional de Guillermo Parra-Bernal e José de Castro)

Mais conteúdo sobre:
SUMMARY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.