Manhã é de trânsito lento na Cônego Domênico

O trânsito na rodovia Cônego Domênico Rangoni amanheceu com sete quilômetros de congestionamento nesta quinta-feira, no sentido Guarujá, informou a Ecovias, concessionária que administra a rodovia. O motorista que tenta chegar ao Guarujá enfrenta lentidão entre os quilômetros 255 e o 248. Na SP 248, trânsito segue congestionado entre os quilômetros 1 e 5, até 8h30.

RICARDO CARVALHO, Agência Estado

21 de março de 2013 | 08h57

Na quarta-feira (20), o congestionamento na rodovia Cônego Domênico chegou a superar 20 km de extensão.

A lentidão nesses trechos tem sido recorrente desde meados de fevereiro, com o início da safra recorde de grãos, que aumentou a quantidade de veículos pesados que acessam a margem esquerda do Porto de Santos, onde estão localizados cinco terminais de grãos. A única via que dá acesso à margem esquerda do porto, a rua do Adubo, não comporta a grande quantidade de veículos pesados, o que traz reflexos para as estradas. A produção desta safra, estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 183,58 milhões de toneladas, é 10,5% superior à registrada em 2011/2012.

De acordo com a Ecovias, os caminhões ocupam a faixa da direita e o acostamento da Cônego Domênico, deixando apenas uma faixa livre para os veículos de passeio. A concessionária diz não ter como informar quanto tempo, em média, tem durado a viagem de São Paulo ao Guarujá sob essas circunstâncias.

Já a Polícia Militar Rodoviária informou que está tomando medidas para fiscalizar os motoristas de caminhões "para que sejam minimizadas os abusos como tráfego pela faixa da esquerda".

Alternativa

O motorista que tentar chegar ao Guarujá pela balsa que sai de Santos enfrenta, na manhã desta quinta-feira, fila de 30 minutos, de acordo com a Dersa, responsável pela travessia. No momento, oito balsas estão em operação.

Os prejuízos causados pelo excesso de caminhões na pista são estimados pela Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Estado de São Paulo (Sindamar). A entidade calcula perdas de receita líquida, até o momento, de pelo menos R$ 115 milhões com o atraso dos carregamentos.

Segundo o Sindamar, os navios de 60 mil toneladas estão levando em média três dias e meio para serem carregados. O período era, de acordo com o sindicato, de dois dias.

Tudo o que sabemos sobre:
estradassafracongestionamentoSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.