Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mania em spas britânicos, 'pedicure do peixe' poderia espalhar infecções

Agência britânica está investigando se tratamento pode criar feridas nos pés dos usuários.

BBC Brasil, BBC

28 de fevereiro de 2011 | 09h27

Médicos alertam para possibilidade de transmissão de infecções

A última moda no mundo da pedicure, o uso de peixes para se livrar de pele morta nos pés, está sendo investigada por autoridades de saúde britânicas devido à suspeita de que a prática possa espalhar infecções.

Na chamada "pedicure do peixe", a cliente mergulha os pés em um tanque de água e se deixa mordiscar por um cardume de pequenas garras rufas - que em poucos minutos removem camadas de pele morta dos pés.

Os spas dizem que o tratamento é tradicional na Ásia. A moda chegou à Grã-Bretanha, onde diversas clínicas já oferecem o tratamento, e já começou a virar mania também nos EUA, onde clientes pagam cerca de R$ 80 por menos de meia hora com os pés no tanque.

Para a agência de proteção à saúde pública britânica, o procedimento pode acabar incentivando a transmissão de infecções de um usuário para outro, a partir de feridas abertas nos pés.

"Estamos investigando se existe algum risco potencial de infecção associado ao uso comercial de tratamentos de pedicure utilizando peixes", disse o órgão.

A agência frisou que está agindo em função de diversas consultas feitas por autoridades locais de saúde pública e ambiental, mas disse que ainda não tem registros de problemas.

"Atualmente, desconhecemos casos de infecção associados ao uso desses peixes na Grã-Gretanha."

Nos Estados Unidos, alguns estados proibiram o tratamento por causa da preocupação com o uso das mesmas carpas para limpar os pés de diferentes clientes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
pedicurepeixespacarpagarra rufa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.