Manifestantes criam conselho para defender revolução no Egito

Alguns organizadores dos protestos que derrubaram o presidente do Egito Hosni Mubarak disseram no sábado que estavam formando um conselho para defender a revolução e negociar com o conselho militar que atualmente comanda o país.

REUTERS

12 de fevereiro de 2011 | 14h37

"O propósito do Conselho de Curadores é manter o diálogo com o conselho militar e levar a revolução adiante através de uma fase de transição", disse a jornalistas o acadêmico Khaled Abdel Qader Ouda, na Praça Tahrir, no Cairo.

"O conselho terá a autoridade para convocar protestos ou suspendê-los, dependendo de como a situação se desenvolver", disse.

Ouda disse que o conselho convocaria uma manifestação na próxima sexta-feira para comemorar o sucesso da revolução.

O conselho terá cerca de 20 membros, incluindo organizadores de protestos, indivíduos proeminentes e líderes de todo o espectro político, disse.

Contatos ainda estavam sendo feitos para conferir se alguns prováveis membros estavam prontos para se juntar à equipe.

(Reportagem de Marwa Awad)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOMANIFESTANTESCONSELHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.