Manifestantes encerram ato na Marginal do Pinheiros

A manifestação dos moradores de um acampamento sem teto na região do Jardim Ângela se dispersou por volta das 09h20 da manhã desta sexta-feira, 10. Mais cedo, os cerca de seis mil participantes do protesto bloqueavam os dois sentidos da Marginal do Pinheiros, além da Ponte do Socorro.

THIAGO MORENO, Agência Estado

10 de janeiro de 2014 | 09h33

Como reflexo do bloqueio e por causa do excesso de veículos a Companhia de Engenharia e Tráfego registrava 5,6 quilômetros de lentidão no sentido Interlagos da marginal. Às 09h20, o congestionamento se estendia da Rodovia Castelo Branco até a Ponte da Cidade Universitária.

Os manifestantes saíram em passeata da zona sul de São Paulo às 05h. Por volta das 07h, os participantes do protesto bloquearam a Estrada do M''Boi Mirim, no sentido centro. Eles pretendiam seguir a pé até a sede da prefeitura, no Viaduto do Chá, mas terminaram o ato no meio do caminho.

Em página do Facebook, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) informa que o protesto é uma resposta às declarações do prefeito Fernando Haddad (PT) contrárias à ocupação conhecida como Nova Palestina. De acordo com a Polícia Militar, os manifestantes pedem que a prefeitura de São Paulo use o terreno onde fica o acampamento para a criação de moradias populares. Segundo o MTST, cerca de oito mil pessoas moram no local.

Mais conteúdo sobre:
ManifestaçãoMTST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.