Manifestantes no Egito incendeiam veículos no Cairo

Cerca de seis veículos foram incendiados em frente ao Ministério do Interior no Cairo nesta quarta-feira, e segundo testemunhas, as chamas foram provocadas por policiais insatisfeitos exigindo seus empregos de volta.

REUTERS

23 de fevereiro de 2011 | 11h21

Autoridades não estavam imediatamente disponíveis para comentar. Mais cedo, uma fonte do setor de segurança disse que um incêndio havia atingido um prédio usado para armazenar provas criminais, próximo ao Ministério do Interior.

Tanques e soldados ainda estão posicionados nos cruzamentos da capital egípcia desde a derrubada de Hosni Mubarak. A revolta que provocou sua renúncia durou 18 dias e deixou a sede do governo, no Cairo, destruída por um incêndio, e delegacias de polícia em chamas por todo o país.

Policiais vestidos de roupas comuns e soldados interditaram a área ao redor do ministério nesta quarta-feira, afastando centenas de observadores que chegaram para ver os veículos em chamas.

O ministério está rodeado por veículos do Exército desde a mobilização das forças militares nas ruas do Cairo, em 28 de janeiro.

Testemunhas dos incidentes desta quarta-feira disseram que ex-policiais despejaram gasolina sobre os veículos e atearam fogo. Ao menos quatro caminhões de bombeiros e quatro ambulâncias chegaram às pressas para o local. Não ficou claro se os agressores escaparam.

"O ministério disse a eles que poderiam ter seus empregos de volta, mas quando eles chegaram com seus documentos, lhes disseram que deveriam usar o papel para beber água", disse uma testemunha, de 30 anos. Ele foi ao ministério com seu irmão, um ex-policial que perdeu o emprego.

(Reportagem de Patrick Werr e Sarah Mikhail)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCARROSQUEIMAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.