Manifestantes protestam contra repressão a ativistas

Cerca de 300 manifestantes se reúnem em frente ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), no centro da capital fluminense, num protesto chamado "Grito pela Liberdade". O grupo é contrário à aplicação das Leis de Segurança Nacional e do Crime Organizado contra manifestantes. A Avenida Presidente Antônio Carlos, onde fica o TJ-RJ, está interditada desde as 16h30. O grupo, formado na maioria por militantes de partidos e de movimentos sociais, caminha rumo à Candelária, de onde seguirá para a Cinelândia.

THAISE CONSTANCIO, Agência Estado

31 Outubro 2013 | 17h34

O grupo reivindica ainda a libertação imediata dos "presos políticos" e o direito amplo à livre manifestação. O ato faz crítica também ao empresário Jacob Barata, dono de empresas de ônibus no Rio. Alguns manifestantes usam máscaras e faixas pretas cobrindo a boca, como é habitual entre os black blocs. Por enquanto a manifestação é pacífica. "Estou reencontrando um Brasil democrático", afirmou o professor Miguel Baldez, de 83 anos, que participa do ato.

Mais conteúdo sobre:
Protestos Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.