Manifestantes queimam pneus em Fortaleza

Uma parte dos manifestantes que deixou o protesto no aeroporto internacional Pinto Martins, em Fortaleza, seguiu pela Avenida dos Expedicionários, onde agora no final da tarde queimou dezenas de pneus de uma borracharia. Os que ficaram interditando a Avenida Carlos Jereissati (cerca de 300 pessoas) liberaram há pouco uma das faixas de acesso ao aeroporto. Um helicóptero da Policia está monitorando a manifestação, que continua tensa. O ex-ministro Ciro Gomes, que está no aeroporto para seguir viagem a Brasília, disse que apoia a manifestação, mas condenou os excessos.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

23 de junho de 2013 | 18h29

Um pouco mais cedo, taxistas que levam passageiros ao aeroporto Pinto Martins ameaçaram avançar sobre os manifestantes que interditavam a Avenida Carlos Jereissati, que dá acesso ao aeroporto. Já foram registrados pela Polícia vários bate-bocas entre os taxistas e os manifestantes, que exigem passar para deixar os passageiros na área de embarque do aeroporto. Os passageiros, para não perderem os voos, estavam caminhando cerca de um quilômetro até a área de embarque do Pinto Martins.

Manifestantes hostilizavam equipes de reportagens das TVs Diário e Jangadeiro, durante protesto no Movimento Mais Pão, Menos Circo, em frente ao aeroporto. Carros das duas emissoras foram pichados e os repórteres hostilizados. A Polícia bloqueou a entrada dos manifestantes no aeroporto.

Tudo o que sabemos sobre:
ProtestosFortalezapneus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.