Alex de Jesus - O Tempo/AE
Alex de Jesus - O Tempo/AE

Manifestantes voltam a interditar a BR-040, em MG

Grupo protesta contra as condições do transporte público; outros dois protestos estão previstos para hoje em Belo Horizonte

Marcelo Portela, Agência Estado

17 de junho de 2013 | 12h01

BELO HORIZONTE - Cerca de 100 manifestantes interditaram, pela segunda vez nesta segunda-feira, 17, os dois sentidos da BR-040, na altura de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, em protesto contra as condições do transporte público. Desde o início da manhã, o grupo fechou e liberou a rodovia algumas vezes, exigindo melhoria nas condições dos coletivos e no tráfego no bairro Liberdade, ao lado de onde o protesto foi realizado. Outros dois protestos estão previstos para serem realizados ao longo do dia na capital mineira.

As manifestações foram convocadas apesar de o desembargador Barros Levenhagen, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), ter atendido pedido do governo comandado por Antonio Anastasia (PSDB) e expedido liminar proibindo qualquer tipo de protesto em dias de jogo da Copa das Confederações, com multa diária de R$ 500 mil para os organizadores. Na tarde desta segunda-feira, o Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, vai receber a partida entre Taiti e Nigéria e um dos protestos está previsto justamente para ocorrer na Pampulha, onde fica a arena.

Em Ribeirão das Neves, a manifestação teve início por volta das 6h e o grupo ateou fogo em pneus e entulhos na altura do km 516, no sentido Brasília-Belo Horizonte. O trânsito chegou a ser liberado com a chegada da Polícia Rodoviária Federal (PRF), mas os manifestantes mantiveram o protesto, que se estendeu também para o outro sentido da estrada. O protesto é direcionado à empresa Transimão, responsável pelos ônibus que atendem a região e que prometeu melhorias no serviço.

Na capital, outro protesto contra o preço das passagens do transporte coletivo, reajustadas em dezembro, e "solidária à rede nacional" que tem promovido manifestações em diversas cidades, está marcado para esta tarde, no centro da capital mineira. Entidades ligadas aos trabalhadores em Educação e policiais civis, que estão em greve parcial em Minas, também convocam "movimentos sociais, estudantis e sindicais" para uma manifestação na Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha.

No sábado, 15, um grupo estimado pela Polícia Militar em cerca de 1,5 mil pessoas percorreu ruas de várias regiões da capital mineira em protesto contra o aumento do fim do ano passado. O protesto foi acompanhado pela PM, mas não houve confronto. A polícia informou que identificou "pelo menos oito" organizadores do movimento e que vai encaminhar ao Ministério Público Estadual (MPE) as imagens da manifestação para que seja avaliado o descumprimento da liminar que proibiu protestos na cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
manifestaçãoBR-040MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.