Manifesto no Rio lembra acidente com Césio 137 em Goiânia

Ativistas do Greenpeace lembram o acidente que deixou 60 mortos e 6 mil vítimas há 20 anos

Talita Figueiredo, do Estadão,

13 de setembro de 2007 | 11h04

Ativistas do Greenpeace interditaram os portões de entrada da Comissão Nacional de Energia Nuclear, do Ministério da Ciência e Tecnologia (Cnem), no Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira, 13. O protesto acontece no dia que marca os 20 anos da tragédia do Césio 137 em Goiânia. Em frente a Cnem, os ativistas instalaram um placa com as frases "Memória Césio 137: 60 mortos, 6 mil vítimas e 20 anos de descaso. Brasil, o país da insegurança nuclear."   Junto aos militantes da ONG está Obesson Júnior, de 32 anos, uma das vítimas da contaminação com o material radioativo. Ele é sobrinho do homem que comprou uma das cápsulas de Césio em uma sucata. Júnior, que tinha 12 anos ao ser contaminado, ficou 90 dias internado em tratamento e sem contato com a família. "As pessoas esqueceram do acidente. Eu me lembro disso todos os dias. Foi muito difícil. Eu era uma criança e após um longo período no hospital eu era rechaçado por todos nas ruas".

Tudo o que sabemos sobre:
Césio 137´greenpeace

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.