Mantega:governo anunciará novas medidas para investimento

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira que o governo vai anunciar nas próximas semanas novas medidas de estímulo ao investimento. Segundo ele, isso é importante para estimular a economia do país e lembrou que o governo já vem adotando ações para impulsionar o crescimento.

Reuters

06 de agosto de 2012 | 12h44

Mantega afirmou ainda que a atividade econômica do país será melhor no terceiro trimestre e "melhor ainda" no quarto trimestre.

"Anunciaremos ao investimento nas próximas semanas", comentou Mantega, após participar de encontro como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), acrescentando que, na quinta-feira, firmará pacto de transferência de recursos com outros Estados, a exemplo do que do acerto feito com o governo paulista nesta segunda-feira.

No dia 26 de julho, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou que o governo já estava preparando medida provisória para ampliar de 3 para 5 por cento a margem da receita corrente líquida que os Estados poderão usar em contratos de Parceria Público-Privadas (PPP).

Ela informou ainda que o governo está montando um programa de concessões a ser anunciado nas próximas semanas.

Segundo Mantega, os estímulos aos Estados e o pacote de medidas de estímulo ao investimento têm o objetivo de estimular o setor privado a retomar projetos de investimento. "Estamos agindo no sentido de estimular o setor privado a fazer o mesmo. Temos que animar esse setor privado que está um pouco reticente", comentou o ministro.

Ao falar sobre a possibilidade de demissões na General Motor (GM), Mantega disse que irá monitorar o acordo de não demissão firmado com os setores beneficiados com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

"O governo tem ficar vigilante para garantir essa cláusula e que não haja demissões em todos os setores que fizeram acordo de redução de tributos".

No fim de semana, a GM fez uma proposta a representantes dos trabalhadores de não fazer demissões nas fábricas de São José dos Campos (SP)até o fim de novembro.

O ministro, que anunciou a liberação de cerca de 2 bilhões de reais ao Estado de São Paulo para investimentos, comentou ainda que o dólar acima de dois reais "dá mais competitividade à indústria".

(Reportagem de Natália Cacioli; Texto de Luciana Otoni; Edição de Patrícia Duarte)

Mais conteúdo sobre:
MACROMANTEGAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.