Mapeada mais uma fonte da diversidade genética humana

O modo pelo qual alguns pedaços do DNA são cortados e trocam de lugar no genoma dos indivíduos foi mapeado pela primeira vez. O catálogo das chamadas inserções (trechos incluídos no DNA) e deleções (trechos removidos) do genoma humano poderá ajudar cientistas a descobrir tratamentos planejados para tirar o máximo de vantagem do código genético de cada paciente.Cada ser humano compartilha de 97% a 99% de seu DNA com todos os demais. O restante do genoma humano é individualizado, e explica diferenças como aparência e suscetibilidade a doenças. Diferenças em uma única "letra", ou base química, do genoma são o tipo mais comum de diferenciação individual, e recebem o nome de polimorfismos de nucleotídeo único, ou "snips", de acordo com a sigla em inglês. Já se conhecem 10 milhões desses snips no genoma humano. Mas o DNA não varia apenas em questões pontuais: há grandes variações estruturais, trechos inteiros do genoma que aparecem em partes diferentes do código genético de cada pessoa. Esses módulos móveis do genoma são chamados de Indels (de INserções e DELeções), e são desde genes que mudam de lugar no genoma a diversas cópias de um mesmo trecho de DNA que se repetem.A equipe do pesquisador Scott Devine, da Escola de Medicina da Universidade Emory (EUA) estudaram os Indels de 36 pessoas de várias partes do mundo. Eles já encontraram e mapearam 400.000 dessas inserções e deleções, e esperam ter até 2 milhões nos próximos 12 meses. Os primeiros esforços do grupo serão publicados no periódico Genome Research de setembro.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2006 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.