Maracanã terá dinheiro público

Toda a reforma do complexo, orçada em R$ 430 milhões, será bancada pelo Estado do Rio

Bruno Lousada, RIO, O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2009 | 00h00

O Maracanã será reformado para a Copa de 2014 com 100% de dinheiro público. A estimativa oficial de gasto é de R$ 430 milhões. O governador do Rio, Sérgio Cabral, anunciou ontem que o Estado desistiu de fazer as obras por meio de uma Parceria Público Privada (PPP), alterando planejamento elaborado há mais de dois anos. De acordo com ele, a linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que oferece até R$ 400 milhões para cada arena do Mundial, será aproveitada para executar as melhorias no palco da final da Copa de 1950.

Sérgio Cabral afirmou ainda que a concessão do Maracanã só vai ser feita após a conclusão das obras. "Ninguém queria mais a concessão do que eu. Mas não havia fundo garantidor", alegou, depois de participar da primeira reunião de trabalho no Rio, com integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI), sobre a realização da Olimpíada de 2016. "A data (de divulgação do edital de licitação) foi avançando, avançando e o mercado dizendo: "Sem fundo garantidor, não entro." E o BNDES não tinha como garantir. Nem o governo federal. Então, vamos fazer a obra", afirmou Cabral.

A previsão é de que só a cobertura do Maracanã custe cerca de R$ 200 milhões. Outros R$ 200 milhões seriam destinados para as obras do estádio. Está prevista a demolição do Parque Aquático Júlio Delamare e do Estádio de Atletismo Célio de Barros, ambos no complexo do Maracanã, a fim de criar espaços para patrocinadores, autoridades, imprensa e convidados vips. "O projeto vai atender a todas as exigências do caderno de encargos da Fifa. Nenhum cidadão pode se sentar no estádio em área descoberta", comentou Sérgio Cabral.

Cultuado pelos cariocas como o maior estádio do mundo, o Maracanã se transformou nos últimos anos em um canteiro de obras. Em 1999, às vésperas do Mundial de Clubes da Fifa, submeteu-se a reformas estruturais que consumiram mais de R$ 100 milhões dos cofres públicos. Antes do Pan-Americano de 2007, houve outra intervenção e mais R$ 200 milhões foram gastos. O Maracanã deve receber a final da Copa de 2014. A Fifa, provavelmente, vai oficializar isso no ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.