Masp terá 96 câmeras e sala secreta de monitoramento

Hoje será realizada a entrega oficial do novo sistema de segurança do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Noventa e seis câmeras de última geração, duas cercas virtuais e uma sala secreta de monitoramento somam-se aos guardas patrimoniais (10 deles armados) e a um posto da Polícia Militar, do outro lado da Avenida Paulista. O monitoramento será ininterrupto. Tudo isso faz parte da estratégia de segurança para evitar que outro episódio igual ao furto do O Retrato de Suzanne Bloch, de Pablo Picasso, e O Lavrador de Café, de Cândido Portinari, ocorrido em dezembro do ano passado, volte a se repetir. As obras foram recuperadas e devolvidas ao museu. O sistema de segurança foi doado pela LG Security System e custou R$ 1,5 milhão. O projeto implementado no Masp foi desenvolvido pela divisão brasileira da mesma empresa que equipou o Museu do Louvre, em Paris. Perguntado se o museu está seguro, o superintendente do Masp, Fernando Pinho, respondeu: ?Esse sistema de segurança é um divisor de águas depois do ocorrido (furto). Hoje ele está 110%, 1.000% seguro?. O novo sistema possui uma cerca virtual externa. ?A nossa maior preocupação é com o período da noite. Por isso, essa cerca virtual externa registra tudo o que acontece ?de estranho? no entorno do museu?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.