Matemática revela segredo do metabolismo dos dinossauros

Dos muitos mistérios que cercam a história dos dinossauros, um dos mais duradouros é como organismos tão gigantescos - alguns com 15 metros de altura e 90 toneladas - regulavam a temperatura de seus corpos. Em um trabalho publicado no periódico PLoS Biology, os pesquisadores James Gillooly, Andrew Allen e Eric Charnov apresentam uma solução para o debate.Alguns cientistas, notando que os dinossauros evoluíram a partir dos répteis, seriam animais de sangue frio, ou ectotermos, que adaptam a temperatura do corpo à do ambiente. Outros afirmam que, como os mamíferos e os pássaros, os dinossauros poderiam ter sido endotermos, que têm sangue quente e mantêm a temperatura do corpo constante. Já um terceiro grupo argumenta que, embora a maioria dos dinossauros fosse como os répteis de hoje em dia, os maiores mantinham a temperatura do corpo quase constante por meio de inércia térmica, que é como os jacarés, tartarugas de Galápagos e dragões de Komodo conservam calor. A inércia térmica permite que o corpo se aproxime da homeotermia, ou temperatura constante, quando a razão entre massa corporal e área de superfície é grande o bastante. Se essa hipótese da "homoeotermia inercial" for verdadeira, a temperatura do corpo dos dinossauros deveria aumentar com o tamanho do animal.Os pesquisadores usaram um modelo matemático que fornece estimativas da temperatura do corpo de um dinossauro com base nas trajetórias de crescimento do animal, deduzidas a partir de fósseis de dinossauros jovens e adultos. O modelo determinou que a temperatura aumentaria com o tamanho, e que os dinossauros maiores teriam temperaturas similares às dos pássaros e mamíferos do mundo atual, e os menores, temperaturas próximas às dos répteis da atualidade. De acordo com o modelo, dinossauros de 13 kg teriam uma temperatura de cerca de 26º C, e um de 14 toneladas, 41º C. Esses resultados sugerem que os animais menores tinham temperatura realmente próxima à do ambiente. A temperatura prevista para o maior dinossauro, o Apatosaurus excelsus, com 27 toneladas, é de 47º C, alta demais para a maioria dos animais conhecidos. Isso sugere que a temperatura pode ter sido um fator limitante no crescimento dos dinossauros.

Agencia Estado,

11 de julho de 2006 | 14h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.