Maus-tratos a tartaruga pode levar à prisão no Guarujá

Maus-tratos a tartaruga pode levar à prisão no Guarujá

A Secretaria de Meio Ambiente do Guarujá, no litoral paulista, decidiu que poderá aplicar a pena de até um ano de prisão a banhistas que forem pegos maltratando ou alimentando tartarugas marinhas - elas recebem até pão de queijo.

, O Estadao de S.Paulo

05 Abril 2010 | 00h00

Segundo as denúncias que chegaram à secretaria, banhistas estão capturando tartarugas-verdes, espécie em risco de extinção, e deixando-as na praia, onde ficam vulneráveis. A lei de crimes ambientais (n.º 9.605/2008) prevê pena de um ano de reclusão, além de multa, para maus-tratos como esses.

As tartarugas-verdes se concentram na praia das Astúrias. No local, a prefeitura colocou um faixa alertando os banhistas sobre a presença dos animais.

AQUECIMENTO GLOBAL

Agência estuda "plano B" para clima nos EUA

A agência ambiental americana (EPA, na sigla em inglês) estuda um "plano B" para regular sobre clima no País - a EPA pretende usar a lei de proteção às águas para controlar as emissões de gases de efeito estufa no País, segundo o jornal The New York Times. Estudos da agência ambiental mostram que a poluição está tornando os oceanos mais ácidos. A legislação sobre clima está parada no Congresso americano. Desde o início da era industrial, a acidez dos oceanos, que absorvem parte do gás carbônico da atmosfera, aumentou em 30%. / ANDREA VIALLI, com AFP

Faça a sua parte

Em viagens, evite comprar artesanato feito com pelos, dentes, garras ou pele de

animais que estejam ameaçados de extinção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.