McCain nega relação íntima com lobista

Pré-candidato republicano desmente suposta ligação levantada pelo 'NYTimes'.

Bruno Garcez, BBC

21 Fevereiro 2008 | 16h15

O senador e pré-candidato republicano à Presidência americana John McCain desmentiu nesta quinta-feira que tenha mantido uma relação íntima com uma lobista há oito anos.A história foi divulgada na edição desta quinta-feira do jornal The New York Times. O diário afirma que a lobista em questão, Vick Iseman, de 40 anos, tornou-se uma companhia constante do senador, de 71 anos, durante a primeira vez que ele tentou concorrer à Casa Branca, em 2000.De acordo com o jornal, "uma lobista começou a aparecer com ele em eventos para angariar fundos, a visitar os seus escritórios e a acompanhá-lo em seu jatinho executivo".A reportagem afirma que assessores do senador, "convencidos de que a relação havia se tornado romântica, interviram para proteger o candidato de si mesmo".'Decepcionado'McCain respondeu às alegações do jornal, em Toledo, no Estado de Ohio, que realiza suas primárias no próximo dia 4 de março."Estou decepcionado com a reportagem do New York Times", afirmou o senador, ao lado de sua mulher, Cindy. "Ela não é verdadeira.""Nunca fiz nada que traísse a confiança pública ou tomei uma decisão que favorecesse um grupo em particular", acrescentou McCain.De acordo com o New York Times, assessores do candidato temiam que mesmo que McCain e a lobista do setor de telecomunicações não tivessem um caso, "a mera aparência de uma forte ligação com uma lobista cujos clientes constantemente faziam negócios com o comitê do Senado comandado por McCain poderia ameaçar a história de retidão que definiu sua identidade política".A esposa do senador, Cindy McCain, disse que seu marido sempre colocou a família em primeiro lugar e é "um homem de grande caráter".'Preocupação'O New York Times afirma que assessores de McCain comunicaram ao senador preocupação em relação à sua relação com Vicki Iseman.Na entrevista desta quinta, McCain negou que seus assessores tenham dito qualquer coisa nesse sentido. Indagado se teve um caso com a lobista, McCain negou e disse que ela era uma amiga."Nós éramos amigos, eu a vi em recepções e eventos para angariar fundos", afirmou o senador. "Tenho muitos amigos em Washington, que representam diferentes interesses, desde os bombeiros e policiais até grupos de idosos."Representantes da campanha de McCain acusaram a reportagem do New York Times de ser jornalismo de tablóide, mas o diário se defendeu, em um comunicado divulgado nesta quinta, dizendo que "a história fala por si mesma".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
lobistacasoNew York Times

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.