McCartney veleja na Baía de Guanabara antes de show

Paul McCartney acordou no fim da manhã de hoje e só apareceu na sacada do Hotel Copacabana Palace às 11 horas, com ar de cansaço. Mas, à tarde, mostrou disposição e boa forma ao velejar na Baía de Guanabara. O ex-beatle foi fotografado no Iate Clube, na Urca, zona sul da cidade. Ele estava sozinho e vestia camisa branca, short e boné. Para despistar os fãs e jornalistas que o esperavam na porta do hotel, Paul saiu pela porta dos fundos.

ROBERTA PENNAFORTE E BERNARDO MOURA, ESPECIAL PARA O GRUPO ESTADO, Agência Estado

23 de maio de 2011 | 19h34

Mais cedo, por volta de 6h, cerca de 20 integrantes do bloco de carnaval Sargento Pimenta, que toca músicas dos Beatles em ritmos brasileiros, como samba, estiveram em frente ao Copacabana Palace na tentativa de acordar o artista e fazê-lo ir até a sacada. Não tiveram sucesso.

O ex-beatle deixou o hotel à tarde. A passagem de som começou por volta das 16h30. Os primeiros fãs que estavam na fila - gente que chegou às 7 horas da manhã - foram autorizados a entrar, em pequenos grupos de 10. Também assistiram à preparação da banda 200 espectadores reunidos num camarote especial organizado pela produção do show. A regalia custou US$ 1,7 mil por pessoa.

Durante o dia, o assunto nas redes sociais foi o sucesso da homenagem que emocionou o cantor no show de ontem. A ideia de levar papeis com apenas uma sílaba (NA) surgiu no Facebook. Durante a execução de "Hey Jude", os cartazes foram exibidos às centenas no momento do coro "Na na na na", em meio a balões coloridos.

A jornalista Mariana Dantas, de 29 anos, que há dez é tecladista e cantora da banda Mulheres Cantam Beatles, contou que a emoção de Paul foi nítida. "Eu fiquei bem junto à grade e pude ver a reação dele. Ele falava o tempo todo que tinha sido fantástico, lindo", contou Mariana, que mora em Brasília e viajou para o show - como havia feito antes para assistir às apresentações em Porto Alegre e São Paulo, há seis meses.

Antes do show, os cartazes intrigavam o resto do público que chegava ao Engenhão. "Serão dos Narcóticos Anônimos?", alguns brincaram. Quando a imagem do mar de "Na na na na" foi projetada no telão atrás de Paul, que cantava "Hey Jude" ao piano, o restante da plateia ficou tão surpresa quanto o músico. O efeito foi bonito porque os participantes posicionaram-se em grupo, na pista prime, centralizados em relação ao palco.

"Uau! Fantástico!", surpreendeu-se Paul McCartney. "Vocês são muito legais". Para o show de hoje, nova homenagem foi programada - balões vermelhos na música "Sgt. Pepper''s" e um leque com declaração de amor ao ex-beatle, para ser exibido no intervalo das músicas (20 mil foram impressos por um dos patrocinadores, num acordo com a comunidade Paul McCartney, do Orkut).

Tudo o que sabemos sobre:
músicaPaul McCartneyRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.