Mediadores suíços acreditam que Rússia poderá entrar na OMC este ano

Mediadores suíços disseram neste domingo que esperam que a Rússia possa chegar a um acordo com a Geórgia e entrar na Organização Mundial do Comércio (OMC) já em dezembro, depois de 18 anos de negociações, e Moscou disse que os obstáculos finais poderão ser superados "dentro de horas".

ALEXEI ANISHCHUK, REUTERS

30 Outubro 2011 | 14h18

A Rússia, um dos grandes produtores de energia do mundo, tem PIB anual de cerca de 1,9 trilhão de dólares, 2,8 por cento da economia mundial, e a adesão à OMC abriria mais sua economia e aumentaria o fluxo de investimentos para o país, duas décadas após o colapso do regime comunista.

"Espero que nossa discussão de hoje seja frutífera e os resultados permitam que a Rússia entre na OMC até o final do ano, em dezembro", A ministra das Relações Exteriores suíço, Micheline Calmy-Rey, disse ao presidente russo, Dmitry Medvedev.

Medvedev respondeu dizendo que a Rússia "também quer muito isso", e elogiou os esforços de mediação da Suíça na reunião, organizada às pressas, na residência de Medvedev perto de Moscou. A Geórgia, pequeno vizinho ao sul que travou por breve período uma guerra com a Rússia em 2008, é o único dos 153 membros da OMC que continua a bloquear adesão da Rússia.Na semana passada, o país vizinho ofereceu a Moscou o que chamou de um acordo final de compromisso, envolendo questões comerciais.

A delegação suíça está a caminho da capital da Geórgia, Tbilisi, para discutir a questão da entrada da Rússia, e o adido do Kremlin, Arkady Dvorkovich, disse aos jornalistas que espera uma resolução para "todas as questões pendentes dentro das próximas horas."

Analistas disseram que é improvável que a Rússia consiga entrar formalmente na OMC até 2012.

Juntar-se ao bloco comercial de 153 membros, é uma ambição do primeiro-ministro Vladimir Putin, que está buscando um retorno à presidência russa em 2012 de março de eleição, e a adesão da Rússia seria o maior avanço na liberalização do comércio mundial desde que a China se juntou ao grupo uma década atrás.

Autoridades russas estão apostando na entrada da OMC para estimular o crescimento econômico com o aumento da concorrência, e o Banco Mundial estima que a adesão poderia aumentar o tamanho da economia da Rússia 11 por cento no longo prazo.

A Geórgia, como todos os membros da OMC, tem poder de veto sobre a adesão da Rússia, medida que ameaça usar até que uma disputa com a Rússia sobre os controles aduaneiros seja resolvida. A Rússia derrotou a Geórgia, ex-soviética, em uma breve guerra em 2008 na região separatista georgiana da Ossétia do Sul. Eles não restabeleceram relações diplomáticas.

A Rússia havia dito na quinta-feira que seriam necessários vários dias para analisar a proposta sobre o comércio de fronteira com a Geórgia feitas por mediadores suíços.

Os Estados Unidos e a União Européia pedem que as partes envolvidas tentem resolver os termos da associação até o final deste ano, porque temem, como as autoridades russas, que novo fracasso possa significar um adiamento de anos para a entrada da Rússia no bloco comercial.

Se a Rússia conseguir um acordo com a Geórgia antes de uma reunião do grupo de trabalho na primeira quinzena de novembro, a entrada poderia ser aprovada na conferência de 15 de dezembro de ministros do comércio da OMC, em Genebra.

(Reportagem de Amie Ferris-Rotman)

Mais conteúdo sobre:
POL RUSSIA OMC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.