Médico acusado de mutilar e causar lesões é excluído

O Ministério da Saúde excluiu Carlos Jorge Cury Marsilla do programa Mais Médicos. Marsilla, acusado de ter mutilado e causado lesões corporais em pelo menos 15 mulheres, iniciaria nesta terça-feira, 3, as atividades num posto de saúde de Águas Lindas de Goiás (GO). "Ele havia sido aceito porque seu registro estava ativo, não constavam problemas", disse o ministro Alexandre Padilha.

LÍGIA FORMENTI, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 20h57

O secretário de Educação na Saúde, Mozart Sales, afirmou que Marsilla tinha dois registros profissionais, um do Amazonas e outro de Rondônia. Em julho, o conselho do Amazonas interditou o registro profissional. A decisão é válida para todo o País. No entanto, o bloqueio nacional ainda não havia sido realizado.

Mais conteúdo sobre:
Mais MédicosPadilhaacusado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.