Médico que errou em anticoncepcional terá de sustentar bebê

O médico responsável por um implante mal-sucedido de cápsulas anticoncepcionais subcutâneas foi condenado a sustentar a criança gerada após seu erro, informa a imprensa européia. O caso se deu na Alemanha.A mãe foi obrigada a abandonar um emprego para cuidar do bebê inesperado. Ela e o pai da criança, com quem manteve relações sexuais no período em que os anticoncepcionais deveriam estar funcionando, não estão mais juntos. O médico foi condenado a pagar 600 euros (cerca de R$ 1.600) ao mês para a família, até que a criança atinja a maioridade. A decisão judicial foi tachada de "escandalosa" pelo diário alemão Die Welt, que considerou "perversa" a idéia de uma criança poder ser considerada causa para indenização. O jornal nota que o filho terá, ao longo da vida, "confirmação oficial" de que seu nascimento foi um erro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.