Médicos chegam à Itajaí para atender população atingida

Cerca de 40 profissionais da Força Aérea Brasileira irão trabalhar no hospital de campanha

Solange Spigliatti, do estadao.com.br ,

29 Novembro 2008 | 16h37

Cerca de 40 profissionais da saúde, membros da Força Aérea Brasileira, chegaram neste sábado à Itajaí, em Santa Catarina, para trabalhar no hospital de campanha disponibilizado pelo Ministério da Defesa.    Veja também: Saiba como ajudar as vítimas da chuva IML divulga lista de vítimas identificadas SC pode ter mais chuva e deslizamentos Defesa Civil foca esforços no Morro do Baú Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Massa doa macacão em prol das vítimas Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Blog Ilha do sem Blumenau  Blog Desabrigados Itajaí  Blog Arca de Noé  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas   O hospital será instalado no cruzamento entre a BR-101 e a Rodovia Jorge Lacerda, junto ao posto de combustíveis Santa Rosa, e a previsão é que o atendimento comece na próxima segunda-feira. A estrutura do hospital de campanha é composta por enfermeiros, auxiliares de enfermagem, um cirurgião buco-maxilar e médicos com especialização em clínica geral, cirurgia geral, ortopedia, ginecologia, anestesista e pediatria. O hospital também está apto a realizar exames de raio X e exames laboratoriais, que são essenciais para o diagnóstico de doenças infecto-contagiosas, como hepatites, leptospirose e febre tifóide. Com quase 50 tendas e 30 leitos, o hospital de campanha tem capacidade para atender até 400 pessoas por dia. A estrutura oferece posto de triagem e um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que permite a realização de consultas médicas e odontológicas, de cirurgias e de atendimentos emergenciais, ou, ainda, o encaminhamento para outras unidades hospitalares. O expediente será das 8h às 16h enquanto houver necessidade de reforço hospitalar na região mais atingida pelas cheias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.