Médicos do CE ocupam Assembleia Legislativa em protesto

Os médicos cearenses ocupam na manhã desta quarta-feira, 3, as galerias da Assembleia Legislativa do Estado em um protesto contra a determinação do Governo Federal de não cobrar a revalidação do diploma de médicos estrangeiros que queiram trabalhar no Brasil. Organizada pelo Sindicato dos Médicos, a manifestação segue depois para o Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 13h17

A categoria pretende sair em caminhada até o Jardim Japonês, na Avenida Beira-Mar, onde farão um novo ato de protesto. Vestidos de jalecos brancos os médicos portam cartazes contra a não exigência da revalidação do diploma de Medicina para os estrangeiros. O movimento chamado de "Vem pra Rua pela Saúde" pretende reunir na passeata mais de 500 pessoas.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes diz que "o médico brasileiro que quiser trabalhar em outro país deve ser aprovado em rigorosos exames. Por que os médicos formados em Cuba devem ser dispensados do Revalida, em desrespeito às nossas normas?". Para ele "o problema não é número de médicos, e sim, a falta de políticas públicas para fixar esse profissional em pequenas cidades".

Mais conteúdo sobre:
protestosCEmédicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.