Médicos do HC de Botucatu param em adesão a protesto

Pelo menos 400 médicos pararam nesta quarta-feira o atendimento no Hospital das Clínicas (HC) de Botucatu, um dos maiores hospitais do interior de São Paulo, em adesão ao movimento nacional contra projeto do governo federal de trazer profissionais do exterior para atuar no Brasil.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 16h09

De manhã, os médicos deram as mãos para um abraço simbólico no hospital, que atende pacientes de 70 cidades. De acordo com a direção do HC, o atendimento de emergência foi mantido. As consultas marcadas para esta quarta-feira foram remarcadas. Os médicos querem também mais investimentos federais na Saúde. Os manifestantes realizaram uma passeata pelas ruas da cidade.

Em Sorocaba (SP), às 15 horas, o atendimento de rotina começava a ser suspenso no Hospital Regional, o maior da região. Os médicos dirigiam-se para o prédio da Sociedade Médica, de onde sairia uma passeata pelas ruas do centro. Alunos e docentes da Faculdade de Medicina também aderiram ao protesto - algumas classes ficaram vazias no início da tarde. Médicos da Santa Casa e de hospitais privados também aderiram ao protesto. A Sociedade Médica anunciou que os atendimentos de urgência e os plantões não seriam afetados.

Mais conteúdo sobre:
Protestosmédicosinterior de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.