Médicos do SUS em MT aderem a paralisação nacional

Os médicos que trabalham pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso aderiram nesta quarta-feira à paralisação nacional convocada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Segundo o Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM/MT) consultas, cirurgias e exames deixaram de ser realizados desde o meio-dia desta quarta-feira.

FÁTIMA LESSA, ESPECIAL PARA A AE, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 16h49

A presidente do CRM/MT, a médica Dalva Neves, as principais queixas dos profissionais da rede pública de saúde no Estado é a falta de estrutura e de segurança para trabalhar nas policlínicas e também de insumos. Além de Cuiabá, o CRM registra paralisações em outros municípios como Sorriso (418 km da capital). No fim do dia, o órgão divulgará um balanço da adesão em todo Estado.

Em Cuiabá, os médicos se concentraram a partir do meio dia em frente ao prédio do CRM/MT em seguida saíram em passeata até a Secretaria de Estado de Saúde e depois ao prédio da Assembleia Legislativa de mato Grosso (ALMT). Todos estes órgãos estão localizados no Centro Político Administrativo (CPA). Além de médicos profissionais da rede pública, o movimento também conta com estudantes de medicina e dos médicos residentes.

Mais conteúdo sobre:
ProtestosMTmédicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.