Médicos italianos transplantam órgãos infectados por HIV

Médicos italianos transplantaram por erro órgãos de uma doadora HIV-positiva em três pessoas, disse o diretor de um hospital em Florença nesta terça-feira. Os médicos do hospital Careggi disseram a jornalistas que o fígado e os rins de uma mulher infectada com o HIV foram transplantados depois de um biólogo do laboratório erroneamente ter anotado na ficha dela HIV-negativo. "Foi um trágico erro humano", disse o chefe do Careggi, Edoardo Majno. Os médicos informaram que a mulher de 41 anos, que morreu de hemorragia cerebral, provavelmente não sabia que tinha a doença e que seus parentes concordaram com a doação. A possibilidade de os três transplantados serem infectados pelo HIV é bastante alta, acrescentou Majno. Matérias na mídia local sobre tratamento inadequado, falta de higiene e baixos padrões de segurança no sistema nacional de saúde da Itália impulsionaram uma inspeção policial nos hospitais públicos do país no mês passado. As inspeções mostraram violações sérias em um a cada seis hospitais. Há um mês, um caso chocou a Itália: uma garota de 16 anos morreu durante a retirada de seu apêndice porque a energia caiu na sala de operação e os equipamentos não estavam ligados ao gerador.

Agencia Estado,

20 de fevereiro de 2007 | 15h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.