Médicos testam técnica que encolhe o coração

Pesquisadores informam o sucesso, ainda preliminar, de um novo tratamento que, esperam, um dia poderá curar a falha cardíaca congestiva em milhares de pacientes à beira da morte. O novo método encolhe o coração inchado com drogas, enquanto uma bomba artificial assume, temporariamente, o trabalho do músculo.Embora tenha sido realizado em pequena escala, o estudo britânico mais do que triplicou a taxa de recuperação dos pacientes com falha cardíaca extrema, uma causa de morte vista, no passado, como impossível de deter. Oito de 24 pacientes parecem totalmente recuperados, embora seus corações tenham, em certo momento, atingido o dobro do volume normal. o benefício já dura quatro anos. "Talvez, em alguns pacientes, um coração moribundo não seja o fim", escrevem os médicos Dale Renlund e Abdallah Kfoury, em editorial do New England Journal of Medicine. A técnica precisa ainda ser confirmada em estudos de maior escala. Uma das drogas usadas ainda não recebeu aprovação do governo americano.Em sua fase inicial, a falha cardíaca congestiva progressiva pode ser tratada com marca-passo e outras drogas, mas a condição freqüentemente se agrava. A situação pode chegar a impedir que o paciente faça até mesmo pequenos esforços.Uma vez nesse estágio, a solução é um transplante ou uma bomba cardíaca artificial. Essas bombas implantáveis podem assumir boa parte do trabalho do coração, mas podem também causar coágulos, e só produzem a recuperação de 10% dos pacientes. A equipe britânica, do Harefield Hospital, teve a idéia de combinar drogas e bombas. A teoria é de que a máquina assuma enquanto o coração descansa e a droga para fazê-lo encolher age. Como o descanso pode enfraquecer o músculo, uma outra droga é administrada para mantê-lo forte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.