Meirelles diz que País está aproveitando a estabilidade

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse ontem que é a primeira vez na história do País que os brasileiros estão aproveitando os benefícios da estabilidade econômica. Ao ministrar palestra sobre os impactos da crise no Brasil para uma plateia formada por estudantes da Universidade Mackenzie, em São Paulo, Meirelles disse que havia no passado muitas discussões sobre a necessidade de se buscar a estabilidade da inflação e sobre os custos e consequências que esse objetivo traria.

Anne Warth, AGÊNCIA ESTADO, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2009 | 00h00

"Durante muitas décadas, nós brasileiros não tínhamos usufruído os benefícios de uma economia estável", afirmou. "Até 1994, o Brasil tinha uma hiperinflação. Durante 15 anos o Brasil teve inflação acima de 100% ao ano, talvez o mais longo período de hiperinflação na história recente da humanidade", acrescentou, citando momentos em que o País teve inflação superior a 1% ao dia e de mais de 2.000% ao ano.

"Eu digo que é a primeira vez que estamos aproveitando o que eu chamo de dividendos da estabilidade", disse. "Existia muita discussão sobre se valia a pena, de fato, estabilizar a inflação, combater a inflação, porque isso era muito custoso."

Meirelles lembrou que havia quem defendesse uma inflação um pouco maior na tentativa de proporcionar crescimento econômico ao País. "Estávamos sempre nesse dilema", ressaltou. Meirelles fez, então, uma defesa do regime de metas de inflação que o BC adotou em 1999. "Nos últimos anos, o Brasil controlou a inflação, fez uma política fiscal que levou a dívida pública para patamares inferiores, equilibrou as contas externas, adotou o regime de câmbio flutuante, acumulou reservas, investiu mais e hoje nós crescemos e temos mais credibilidade", citou.

O presidente do BC disse ter percebido uma mudança "importantíssima" na imagem e nas expectativas que se tem sobre o Brasil no exterior. Ele citou que, recentemente, fez uma palestra na Universidade de Oxford, na Inglaterra, sobre o Brasil, e disse que foi a 1ª vez que um latino-americano foi convidado para debater no local.

Meirelles disse também que no evento que o jornal Financial Times organizou sobre o País em Londres, há algumas semanas, o clima era o mesmo. "O Brasil sempre foi o País do futuro, de um futuro que nunca chegava, e hoje é o País do presente. O Brasil hoje é a estrela entre os países em recuperação econômica", declarou Meirelles. Ele exaltou que o crescimento econômico do País ocorre com criação de empregos e aumento do crédito, e não apenas por estímulos fiscais.

"Ao contrário de outros países, o Brasil tem condições de fazer a retirada gradual dos incentivos no momento adequado." Disse também que o Brasil é um país democrático e tem Justiça independente.

"Isso não quer dizer que nós não tenhamos que continuar trabalhando para melhorar muito uma série de coisas no Brasil. Isso vai ser o desafio dessa geração e das gerações futuras", afirmou. Entre os desafios que o Brasil ainda tem para enfrentar nos próximos anos, Meirelles mencionou a manutenção dos investimentos em infraestrutura e na educação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.