Meirelles sai do PMDB e pode transferir domicílio eleitoral a SP

O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles deixou o PMDB de Goiás e poderá transferir seu domicílio eleitoral para São Paulo nesta sexta-feira, último dia para políticos interessados a concorrer nas eleições municipais do ano que vem se filiarem a partidos.

REUTERS

07 Outubro 2011 | 14h12

Meirelles comunicou sua saída ao PMDB goiano na quinta-feira, disse a assessoria do partido à Reuters.

Segundo a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, o ex-presidente do BC deverá comparecer a uma zona eleitoral na capital paulista, o que seria um "prenúncio" da mudança de seu domicílio eleitoral.

Informações na mídia apontavam nesta sexta-feira que Meirelles transferiria seu título para São Paulo e se filiaria ao PSD, partido criado pelo prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab, tornando-se uma alternativa da nova legenda para concorrer à sucessão da prefeitura paulistana em 2012.

Procurado, o PSD disse que só teria informações sobre a possível filiação de Meirelles na tarde desta sexta.

Meirelles se filiou ao PMDB há dois anos, num movimento amplamente visto como voltado às eleições do ano passado. Ele foi apontado como um dos nomes para a vaga de vice-presidente na chapa liderada pela então candidata a presidente Dilma Rousseff e como possível candidato ao governo de Goiás.

Preterido por Michel Temer na escolha da vice de Dilma e por Íris Rezende na disputa pelo governo goiano, chegou a ser cogitado para disputar uma vaga no Senado, mas decidiu permanecer à frente do Banco Central até o fim do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Até então, o nome do atual vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, vinha sendo apontado como principal nome do PSD para disputar a sucessão de Kassab no ano que vem.

Atualmente, Meirelles comanda o Conselho Público Olímpico dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

(Por Hugo Bachega)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA MEIRELLES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.