Melhor porto, Suape teve investimento de R$ 7 bilhões

Posição estratégica e gestão também levam porto a se destacar em pesquisa

Monica Bernardes, O Estadao de S.Paulo

06 Fevereiro 2010 | 00h00

O desempenho do Complexo Portuário de Suape na pesquisa do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), considerado o melhor do País, é, na avaliação de operadores e gestores, resultado de fatores como localização estratégica em relação às principais rotas de navegação, o que garante conexão com mais de 160 portos em todos os continentes; o investimento contínuo (público e privado) em infraestrutura e gestão, que soma mais de R$ 7 bilhões nos últimos três anos; e a adoção de um plano estratégico rígido, monitorado por especialistas, entre os quais um grupo do Porto de Roterdã, na Holanda.

Suape fica 40 quilômetros ao sul do Recife (PE), em uma área de 13.500 hectares. Atualmente, 96 empreendimentos, entre indústrias, empresas de logística e de operação de serviços, estão instalados ou em processo de instalação. Entre eles estão o grupo italiano Mossi & Ghisolfi (M&G), o Estaleiro Atlântico Sul, a Bunge Alimentos, uma usina termoelétrica de 523 megawatts e a Refinaria Abreu e Lima. Em 2007, o porto tinha 8 mil empregados diretos. Em 2009, superou os 18 mil.

Em 2009 foi movimentado um total de 7,77 milhões de toneladas, ante 8,61 milhões em 2008. A queda, de 9,8%, foi justificada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e presidente do porto, Fernando Bezerra Coelho, como efeito da crise econômica.

"Não podemos esquecer que todos os setores foram atingidos pela crise mundial. Mas isso já era esperado e não causa preocupação em relação às metas para 2010. Muito pelo contrário, os resultados do segundo semestre de 2009, que foram 32% superiores aos dos primeiros seis meses, mostram que nos recuperamos rápido. Se mantivermos esse ritmo, a movimentação de cargas atingirá um aumento de 15% a 20%, alcançando até 9 milhões de tonelada", disse ele.

Entre os produtos que mais se destacaram na movimentação do porto no último ano estão as chapas de aço, máquinas e peças para empreendimentos que estão se instalando em Suape, a exemplo do Estaleiro Atlântico Sul.

De acordo com Bezerra Coelho, os investimentos previstos para 2010 (entre receita própria, repasse do governo federal e recursos do Tesouro do Estado) são da ordem de R$ 750 milhões. "Em 2007, o investimento, sem contar a iniciativa privada, foi de R$ 105 milhões. Em 2008, esse valor chegou a R$ 158 milhões. No ano passado, atingimos R$ 438 milhões."

No ano passado, pelo terceiro ano consecutivo, Suape apresentou um recorde no número de navios atracados. Em 2009, foram 1.138 embarcações, ante 1.042 em 2008 e 1.107 em 2007.

PROJETOS

Na lista dos projetos prioritários para 2010 estão: licitação para o segundo terminal de contêineres, um terminal de minério e um terminal de grãos, cujo valor estimado é de R$ 2 bilhões; a construção de novos piers, a duplicação de vias internas, aumento da capacidade de produção de água bruta, com construção de uma nova subestação, e a restauração da ligação ferroviária com Alagoas, prevista para o fim do primeiro semestre.

Entre os operadores, as expectativas também são positivas. O presidente do Terminal de Contêineres de Suape (Tecon Suape), Sérgio Kano, credita a liderança de Suape "à forte parceria entre governo e iniciativa privada". "Suape é um projeto que tem 40 anos, mas só nos últimos 25 passou a ser viabilizado. Os últimos 10 anos foram de crescimento intenso e consolidação e isso só foi possível graças ao planejamento sério e à confiança de grupos empresariais", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.