Melhores que os nossos? Só se for nos preços

Comer sempre foi programa em Buenos Aires e não há como negar que, desde o império das papas fritas estufadas em parceria com os asados até a cozinha criativa do Tegui e a mesa autóctone do El Baqueano, a evolução foi enorme. Buenos Aires tem hoje a maior quantidade de restaurantes no ranking dos 50 Melhores da América Latina - são 14, do total de 15 argentinos na lista, para 9 brasileiros e 7 peruanos. Mas o fato é que essa supremacia portenha é mais uma questão de preço que de qualidade.

Comentário: Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2013 | 02h21

A Argentina é um país barato, e isso atrai turistas, especialmente latinos, que vão aos restaurantes, comem bem, tomam vinho nacional, gastam pouco e voltam sempre que podem. E a cada vez conhecem novos restaurantes... Enquanto isso, no Brasil, os preços de restaurantes (e hospedagem, e passagem, etc...) afugentam. Resultado, os restaurantes deles são mais conhecidos que os nossos. E é isso o que faz a diferença no ranking: pela metodologia do prêmio, cada jurado deve votar em sete restaurantes, sendo quatro de sua região e três de outras regiões. Como Brasil e Argentina estão em regiões diferentes, os próprios brasileiros acabam votando nos argentinos... No caso do Peru, além dos preços baixos, pesa o investimento da Promperú, o órgão de turismo do país que promove fortemente a gastronomia, além de sempre convidar jornalistas e críticos para conhecer seus restaurantes.

Tudo o que sabemos sobre:
buenos airesgastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.