Membro da coalizão grega defende isenção fiscal para manter dinheiro nos bancos

O parceiro minoritário na coalizão de governo da Grécia planeja propor uma anistia fiscal para renda não declarada depositada nos bancos, numa tentativa de reverter a saída crescente de recursos do país, disse o líder do partido numa entrevista publicada neste domingo.

REUTERS

01 Fevereiro 2015 | 11h56

Panos Kammenos, líder do partido de direita Gregos Independentes, no governo do primeiro-ministro Alexis Tsipras, afirmou que proporia o corte de impostos sobre tais recursos para 15 por cento, ante 42 por cento, e com uma isenção pelos quatro anos seguintes.

"Em relação aos bancos e a sua liquidez, eu acredito que o clima vai melhorar logo", disse Kammenos a um jornal semanal.

"Uma medida que nós vamos propor ao governo é a possibilidade de depositar dinheiro cuja origem não pode ser garantida a um imposto de 15 por cento e com os depositantes ficando isentos pelos próximos quatro anos".

Os bancos gregos têm sido prejudicados nas últimas semanas, já que a perspectiva de um impasse com os credores internacionais do país fez com que correntistas retirassem o seu dinheiro. O depósitos caíram em dezembro pelo terceiro mês consecutivo, e os banqueiros acreditam que a tendência se acelerou em janeiro.

(Por Angeliki Koutantou)

Mais conteúdo sobre:
GRECIA BANCOS IMPOSTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.