Membros de grupo que roubava casas são presos em SP

Três integrantes de uma quadrilha que roubava casas na zona sul de São Paulo, acusados de agredir e até ameaçar atear fogo nas vítimas - entre elas, deficientes físicos e idosos -, foram presos pela Polícia Civil. Os suspeitos foram apresentados hoje pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), que procura agora outros quatro acusados. Outro membro do grupo foi morto em confronto com PMs em setembro.

AE, Agência Estado

24 de outubro de 2011 | 23h02

Segundo o delegado responsável pela 1ª Delegacia de Investigações sobre Crimes Contra o Patrimônio (Repressão a Roubos e Extorsões), Francisco Solano, o bando praticava até quatro roubos por semana nos bairros de Campo Belo, Aeroporto, Moema e Jabaquara. Parte dos objetos roubados era levada para a favela da Rua Alba, na Vila Santa Catarina, onde os produtos eram vendidos em um tipo de feirinha de eletrônicos. "Eles pediam uma bagatela pelos produtos. Só para se ter uma ideia, quatro notebooks foram vendidos por cerca de R$ 2 mil".

O delegado contou que o bando agia sempre no início da manhã, por volta das 6h30, ou no começo da noite, em torno das 19 horas. "São os horários em que as pessoas estão saindo ou voltando para casa." A maioria das vítimas era de classe média. Solano disse também que os bandidos adotavam a tática do enfrentamento quando eram abordados por policiais após os roubos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
políciaquadrilhaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.