Menina de 5 anos morre após comer bolacha envenenada em PE

Outras 6 crianças que comeram o biscoto foram internadas; compra da bolacha foi pedido da mãe da garota

Angela Lacerda, da Agência Estado,

26 de fevereiro de 2008 | 17h50

A menina Iasmin Bernardino Moreno da Silva, de 5 anos, foi enterrada nesta terça-feira, 26, em Calumbi, no Sertão de Pernambuco, a 407 quilômetros do Recife, após passar mal depois de comer bolacha de água e sal na noite de segunda-feira, 25.   Levada pela mãe, Maria Ivaneide Bernardino, a um hospital em Serra Talhada, em Pernambuco, ela morreu poucas horas depois, na madrugada de segunda-feira, 25.   Grávida de 8 meses do nono filho, ao retornar para casa Ivaneide deparou-se com os outros 5 filhos e um sobrinho, que também haviam comido o alimento, com os mesmos sintomas de intoxicação apresentados por Iasmin - dores na barriga e vômito. A mãe disse que havia pedido aos filhos para comprar o biscoito.   Eles foram encaminhados para hospitais em Serra Talhada e Arcoverde, em Pernambuco e dois deles - os mais novos, de 2 e 3 anos - foram transferidos depois para o Hospital da Restauração, na capital pernambucana. Nenhum corre risco de vida.O delegado regional Emanoel Serapião, que investiga o caso, afirmou acreditar que a morte foi causada por contaminação da bolacha com veneno. Restos do biscoito foram encaminhados para análise no Instituto de Criminalística de Salgueiro, no Pernambuco, assim como uma pequena quantidade de um pó branco encontrado sobre um móvel da casa das crianças. O laudo deve ficar pronto em 15 dias.   O comerciante Gonçalo Teles, dono da mercearia onde a bolacha foi comprada, negou a informação de que a embalagem do produto estivesse roída.   Em depoimento, Teles disse não usar veneno para ratos e afirmou que o pacote de biscoito não estava violado.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.