Menina é morta em invasão de aldeia indígena no MA, diz Cimi

Indígenas querem a presença da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Polícia Federal na área

AE, Agencia Estado

06 de maio de 2008 | 16h12

Uma menina de 5 anos foi morta na última segunda-feira, quando dois homens armados invadiram a aldeia Guajajara de Anajá, na terra indígena Araribóia, perto do município de Arame, no Maranhão. Os suspeitos chegaram de motocicleta e atiraram, segundo relato dos indígenas ao Conselho Indigenista Missionário (Cimi) no Estado. A criança, atingida na cabeça, morreu na hora.  Veja também:PF envia reforço para apurar disparos contra índios na Raposa Fórum: na sua opinião, qual é a solução para o conflito   Saiba onde fica a reserva e entenda o conflito na região Galeria de fotos da Raposa Serra do Sol 'Roraima é do Brasil graças aos índios', diz especialista  Os guajajara dizem que os assassinos são os mesmos que em 2007 mataram um líder indígena e desde então ameaçam os índios e provocam terror na região. No ano passado, cinco índios foram assassinados na região de Arame. Em fevereiro, dois indígenas foram espancados e um deles morreu. Os indígenas querem a presença da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Polícia Federal na área.  Raposa Serra do Sol Em Roraima, a reserva indígena Raposa Serra do Sol é alvo de conflitos entre índios e não-índios. A área foi homologada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Polícia Federal lançou uma operação para retirar os arrozeiros da região, que resistem. O Supremo Tribunal Federal suspendeu a ação. Na última segunda, dez índios foram baleados após confrontos com arrozeiros da região. Segundo os não -índios, tiros foram revide a flechadas.

Tudo o que sabemos sobre:
Aldeia indígenaGuajajara de Anajá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.