Meninas põem Brasil no pódio, em Tóquio

Sarah Menezes, de apenas 19 anos, e Érika Miranda, de 22, brilham e fecham a temporada com a medalha de bronze no Grand Slam japonês

TÓQUIO, O Estadao de S.Paulo

14 Dezembro 2009 | 00h00

O ano brasileiro no judô, encerrado ontem, esteve longe de brilhante, mas as garotas têm motivo para comemorar. Sarah Menezes (-48 kg) e Érika Miranda (-52 kg) tiveram sucesso no Grand Slam de Tóquio e conquistaram a medalha de bronze. As duas aparecem entre as principais apostas do País para os Jogos de Londres, em 2012.

Sarah, piauiense de apenas 19 anos, é a atual bicampeã mundial júnior de sua categoria e vem mostrando evolução a cada disputa. Ontem, depois de duas vitórias, sentiu lesão no joelho direito e acabou desistindo da luta contra a atual campeã mundial, Tomoko Fukumi. Ficou, assim, impedida de brigar pelo ouro. "Queria muito lugar com ela, mas foi melhor me poupar para não agravar a contusão", declarou Sarah, candidata ao prêmio de melhor atleta do ano em eleição do Comitê Olímpico Brasileiro. "A temporada foi muito boa, senti que estou evoluindo a cada luta."

Érika, brasiliense de 22 anos, medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos do Rio, ganhou três combates, mas parou na eslovena Petra Nareks. O Brasil, assim, encerrou sua participação no Japão com 3 bronzes - o outro foi no sábado, conquistado pelo meio-médio Leandro Guilheiro.

Na temporada, o País somou 12 medalhas em etapas do Grand Slam e conseguiu classificar 11 atletas para o Masters da Coreia do Sul, programado para janeiro. Desempenho considerado apenas regular.

"Tivemos um Mundial aquém do que poderíamos fazer (em agosto, na Holanda, onde a equipe não conquistou nenhuma medalha), mas mostramos a nossa força ao longo do ano", comentou Ney Wilson, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô (CBJ). "Provamos que o que aconteceu na Holanda foi circunstancial, temos atletas de qualidade e, se a Olimpíada de Londres fosse amanhã, teríamos dez categorias classificadas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.