Menino de 5 anos é a 27ª vítima das enchentes em Minas

Na quinta-feira choveu o correspondente a um quinto do que era esperado para o mês em Belo Horizonte

Fabiana Marchezi e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

23 Janeiro 2009 | 08h57

Um menino de 5 anos é a 27ª vítima das enchentes que atingem Minas Gerais desde setembro do ano passado, segundo informações da Defesa Civil do Estado, divulgadas nesta sexta-feira, 23. De acordo com o órgão, por volta das 22 horas da quinta, Bruno Barbosa Coutinho foi arrastado pela enxurrada perto de sua casa e caiu em um bueiro na cidade de Tiros, no Triângulo Mineiro. O corpo da criança foi encontrado em um córrego, por volta das 2 horas da madrugada desta sexta, 23. Segundo a Defesa Civil, na quinta choveu o correspondente a um quinto do que era esperado para o mês.   Veja também:  Todas as notícias sobre vítimas das chuvas      O Estado já tem 101 municípios em situação de emergência. Ainda segundo a Defesa Civil, 143 municípios foram afetados de alguma forma, prejudicando 789.060 pessoas. Desse total, 85.294 continuam desalojados - os que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares - e outros 8.709 permanecem desabrigados - pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos.   Belo Horizonte   A chuva que caiu na capital e na região metropolitana de Belo Horizonte por cerca de uma hora na tarde da quinta-feira, 23, voltou a causar estragos. O Corpo de Bombeiros informou que uma mulher, de 60 anos, ainda não identificada, foi levada pela enxurrada. O corpo já foi resgatado e levado para o Instituto Médico Legal (IML). Outras quatro pessoas seguem desaparecidas.   A inundação na cidade foi causada pelo transbordamento do Rio Ribeirão Arrudas, que tem sua nascente em Contagem. Segundo a Defesa Civil, o rio já chegou a Belo Horizonte com o nível acima do normal e os bairros de Barreiro e Oeste, que estão localizados próximos ao município de Contagem, foram os mais afetados.   Na região, dois homens foram resgatados por um helicóptero dos bombeiros. Eles estavam em um carro que foi coberto pelas águas, em Barreiro, que segundo os bombeiros, foi o mesmo local inundado pelas chuvas no dia 31 de dezembro do ano passado. Durante a tarde, a Defesa Civil recebeu 127 pedidos de atendimentos, entre quedas de árvores, inundações em residências e deslizamentos de encostas.   A Defesa Civil ainda não tem informações sobre o número de desabrigados - pessoas que perderam tudo e precisam dos abrigos públicos - e desalojados - os que podem contar com ajuda de vizinhos e familiares -, pois a chuva voltou a cair durante a madrugada, causando mais cheias. Foi a segunda enchente no Ribeirão Arrudas em menos de um mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.